UFABC Rocket Design Entrevista: Chantal Cappelletti

PHD pela universidade de Roma e professora na Universidade de Brasília, Chantal Cappelletti é coordenadora do projeto do nanossatélite SERPENS. 1) Quem era você na Universidade? O que você fazia? Comecei a trabalhar na Universidade de Roma quando era estudante de mestrado em 2006. Minhas atividades eram relacionadas ao grupo de Astrodinâmica do Professor Graziani, […]

Continuar lendo


Hands-on: Mais do que da teoria à prática.

Post escrito por Gustavo Cirelli. Participar de um projeto extra curricular como o Rocket Design engloba muito mais do que o conteúdo visto em sala de aula. O sucesso de cada projeto esta relacionado não só na transferência da teoria à prática, mas também à gestão e organização do grupo. Antes de tudo, é preciso saber quais são os projetos da equipe. Atualmente a Rocket Design se prepara para participar do 4º festival de mini foguetes de Curitiba, da 2ª edição da COBRUF (Competição Brasileira Universitária de Foguetes), da […]

Continuar lendo


UFABC Rocket Design Entrevista – Danilo Miranda

      Você sabia que o Brasil irá lançar o seu primeiro satélite geoestacionário até o começo do ano que vem? O SGDC, Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas, é um projeto estratégico nacional que está sendo desenvolvido pela empresa brasileira Visiona Tecnologia Espacial, em conjunto com a Thales Alenia Space. Pois bem, hoje a […]

Continuar lendo


III Festival de Minifoguetes de Curitiba: 4º dia!

Saudações, fogueteiros! Enfim, chegou o último dia do festival. O cronograma foi bem pequeno, iniciando às 9h30 com uma breve apresentação do professor Carlos Marchi, idealizador do evento, que comentou sobre a autorização solicitada e obtida da aeronáutica para o lançamento de minifoguetes. Em seguida, o professor apresentou sua página de recordes brasileiros de minifoguetes, […]

Continuar lendo


III Festival de Minifoguetes de Curitiba: 3º dia!

Saudações, fogueteiros! Diferente dos dois primeiros dias do festival, neste sábado não acompanhamos o cronograma do evento pela manhã. Os motivos foram dois: com o cansaço acumulado entre a viagem, o primeiro e o segundo dia, precisávamos descansar, agora que não tínhamos mais compromissos oficiais. Além disso, estávamos preocupados em voltar à fazenda para procurar o Eirapuã […]

Continuar lendo